domingo, 20 de dezembro de 2009

Ou isto, ou aquilo



(Cecília Meireles)

"Ou se tem chuva e não se tem sol,

ou se tem sol e não se tem chuva!


Ou se calça a luva e não se põe o anel,

ou se põe o anel e não se calça a luva!


Quem sobe nos ares não fica no chão,

quem fica no chão não sobe nos ares.


É uma grande pena que não se possa

estar ao mesmo tempo nos dois lugares!


Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,

ou compro o doce e gasto o dinheiro.


Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…

e vivo escolhendo o dia inteiro!


Não sei se brinco, não sei se estudo,

se saio correndo ou fico tranqüilo.


Mas não consegui entender ainda

qual é melhor: se é isto ou aquilo".


(...)




Hoje,pensativa, prestes a tomar uma importante decisão, meu pensamentos vagaram e saudosamente recordei este poema da Cecília Meireles. Era ainda uma menina (não lembro a idade) quando tive o meu primeiro contato com ele. Lembro-me, porém, que achei muito injusto essa situação de ter que escolher entre uma coisa e outra, principalmente quando ambas são coisas são objetos do bem querer.

Este singelo poema, muito além que abordar fantasias do mundo infantil, aborda de forma simples a grande tarefa que é fazermos escolhas. Parece que conforme vamos crescendo esta tarefa vai se tornando cada vez mais complexa. E algumas escolhas realmente não são fáceis de serem tomadas. Quem sofre de ansiedade vai entender muito bem o que estou tentando dizer, pois para quem é ansioso o sofrimento começa muito antes da escolha e si, começa só de pensar em ter que tomar uma decisão entre uma coisa e outra. De qualquer maneira, saber que se têm opções já é algo muito positivo, pois é muito pior quando não temos o que e como escolher.Além disso, às vezes é possível encontrarmos um meio termo e fugirmos dessa situação ou oito ou oitenta.

Bem, agradeço por você ter vindo e,
te deixo escolhas:
Ou você deixa sua visita sem registro, ou deixa um comentário.
Beijo grande!
Rosi








domingo, 13 de dezembro de 2009

Pausa do aconchego




Amigos,


Sei que estou um pouco afastada, já são mais de cinquenta dias de ausência...
sem uma postagenzinha sequer.


Férias, eu? Quem deras!


Dizer que o 'sumiço' deu-se por falta de tempo seria um grande engodo. Na verdade, o tempo para mim anda escasso, mas sei que quando nos organizamos é sempre possível fazermos uma coisinha aqui e outra acolá e, talvez, resida exatamente aí o meu problema. Tenho administrado mal este meu pouco tempo. E não que eu quisesse, mas o ritmo de fim de ano é sempre uma verdadeira loucura...


Neste ritmo de pico tenho estado um pouco "atropelada" com os afazeres rotineiros e com as tarefas extras próprias dessa época do ano. Tenho tentado driblar os cansaços físicos e mental que teimam em se instalar. Pois, sei que quando perdemos em organização, também pecamos em ponderação e comprometemos e equilibrio. Nesse interim, o corpo adoece e a mente padece.




Devagar e sempre, vou aconchegando as ideias...




Abraços saudosos a todos.





Rosi

terça-feira, 20 de outubro de 2009

O aconchego é Roxie?!


A adorável amiga Edilza do blog saudepelaspantas.blogspot.com/ ofereceu-me este selinho dizendo que meu blog é Roxie e, como eu não fazia ideia do que isso significava andei dando umas vasculhadas pela rede e descobri que roxie quer dizer, entre outras coisas, um conjunto de coisas boas da vida.


Achei super legal. Adorei o mimo, mesmo porque este foi meu primeiro selinho, e como dizem..." primeiro a gente nunca esquece" rsrs...E para compartilhar toda esta alegria presenteio com este selinho os amigos dos seguintes blogs:

-http://estarbemcorpoalma.blogspot.com/ do amigo Absair (que é "padrinho" do aconchego)


- http://quiosqueazul.blogspot.com/ O Quiosque Azul, do amigo Renato, tem sempre um lugar em nossas vidas. Cantinho muito legal!


- http://compartilhandoasletras.com/ da amável Sônia Regly que além de compartilhar letras, compartilha amor, carinho, poemas, sonhos e alegrias.


- http://broncanotrombone.blogspot.com/ do queridíssimo e criativo André que sempre com um tom de protesto inteligente manda o seu recado.


- http://blogdomaha.blogspot.com/ do bem humuradíssimo Maha, aliás quando quero dar boas risadas sempre dou uma passadinha pelo link humor...é sempre uma festa!


-http://maturidadedivagando.blogspot.com/ Divagar por entre os links deste espaço da encantadora gaúcha Maria de Souza é sempre um grandioso prazer. Sempre encontramos postagens inteligentes e leituras agradáveis.


Beijão e aconchegante abraço a todos e todas.


Rosiane Nunes












quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Breve relato de uma ex aluna


Quando me propus a escrever sobre este tema, muitos assuntos passaram em minha cabeça. Fiz uma pequena viagem mental e relembrei diversos educadores que de algum modo passaram por minha vida. Pensando neles, foi possível reviver diversos momentos , alguns agradáveis e outros que, melhor seria permanecerem no esquecimento. Aprendi muito no convívio com estas pessoas. De todas sempre busquei extrair o que de melhor tinham a proporcionar e muitos dos meus antigos professores tiveram muito a me acrescentar, alguns, porém, talvez o melhor ensinamento foi a de serem um exemplo a não ser seguido.
Enfim, nos atenhamos aos bons momentos... Que saudades da “tia” Penha, minha primeira professora, ainda na educação infantil, tinha apenas cinco anos. Fechando os olhos, ainda é possível lembrar com certa nitidez o quanto era uma pessoa doce, carinhosa, meiga e atenciosa. Recordo também que ela contava muitas historinhas.
Não lembro como foi meu processo de alfabetização, propriamente dito, mas lembro da professora que me ensinou a ler e a escrever, foi a encantadora e acolhedora Luzinete. Nunca a vi gritar com nenhuma criança, era de uma ponderação e de uma paciência invejáveis.
O destaque do Ensino Fundamental foi Regina Célia, professora de História. Extremamente exigente... Deus me livre chegar em sua aula sem ter lido o capítulo “X”, ou sem ter respondido as questões “Y”. Ela tinha uma metodologia muito interessante para corrigir as tarefas, deslizava o dedo sobre os nomes do Diário de Classe e escolhia um nome. Em quase todas as suas aulas, durante os quatro anos em que fui sua aluna, por mais que fazia minhas preces para que seus dedos não encontrassem meu nome no Diário, eles sempre encontravam, para meu desespero. A situação era quase uma tragédia para mim: dava taquicardia, tremor nas pernas e sudorese nas mãos e quando ela finalmente dizia: "quero ouvir a resposta de...Rosiane Nunes" eu quase infartava. Sobrevivi. Com tudo isso, tenho verdadeira paixão por História. Anos mais tarde, indo trabalhar na mesma escola que ela, soube que este método era para os tímidos exercitarem sua oralidade.

Já na graduação, no curso de Pedagogia, tive muitos professores, daqueles dois tipos: os para não serem lembrados e os para jamais serem esquecidos. Deste último time, lembro com muito carinho da querida mestra Terezinha, professora da disciplina de Legislação Educacional. Por detrás daquele jeito sério, rigoroso e exigente tão típico de sua descendência alemã, escondia-se uma pessoa carismática, solidária, sensível, inteligente e, acima de tudo, competente. E que competência! Sabia do que falava e por isso, sempre o fazia com muita propriedade. Ela foi responsável pelo meu interesse pelas políticas educacionais. Devo também a ela, ser a profissional da educação que me tornei.

Hoje sou Pedagoga naquela minha primeira escola...aquela de educação infantil em que outrora fui aluna da “tia” Penha.

A minha homenagem a estas professoras acima citadas, e a todos os Professores deste imenso Brasil. O meu carinho, meu respeito e admiração a estes profissionais tão importantes na formação dos sujeitos, mas que infelizmente nem sempre são devidamente reconhecidos como tal.


Abraços aconchegantes a todos e todas.

Rosiane Nunes


Obs.: O presente texto faz parte de uma Blogagem Coletiva, intitulada “Professores do Brasil” em homenagem ao Dia do Professor, promovida Pelo amigo Valdeir Almeida do blog http://ponderantes.blogspot.com

domingo, 4 de outubro de 2009

Pessoas! Sonhar também é preciso!



É preciso sonhar,

Sim, é preciso...


É preciso sonhar,

para acreditar,


É preciso acreditar

para realizar e,

voltar a sonhar,


É preciso sonhar,

para transformar.


É preciso sonhar,

para experimentar,

para vivenciar

emoções únicas e ternas,

e que se tornam eternas.



É preciso sonhar

para renovar as esperanças,

para acreditar e,

acima de tudo lutar,

E lutando vencer,

e vencendo, desfrutar...


Tudo que o sonho pode nos proporcionar.




Bem, amigos, com as ideias aconchegadas de carinho, desejo a todos uma semana recheada de bons sonhos, com cobertura de muitas realizações, mesmo as pequeninas que, às vezes, nos passam despercebidas dado o nosso corre-corre cotidiano.



E para finalizar, presenteio-os com este texto super especial, de Clarice Lispector,



Sonhe com aquilo que você quiser.

Seja o que você quer ser,porque você possui apenas uma vida e

nela só se tem uma chance de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.

Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana.

E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.

Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam.

Para aqueles que buscam e tentam sempre.

E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.





Aconhegante abraço

Rosiane Nunes

04/10/2009

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

RECONHECENDO POSSÍVEIS SINAIS DE ABUSO CONTRA CRIANÇA


Na postagem anterior -“Maus tratos contra crianças e adolescentes”, busquei fazer um apanhado dos principais tipos de maus tratos cometidos contra crianças e adolescentes, dentre eles a negligência, a violência física e o abuso sexual.

Mas, como reconhecer e/ou identificar possíveis sinais de maus tratos cometidos contra crianças? E o que podemos fazer?
Alguns estudos apontam que dentre os sinais apresentados pelas crianças vítimas de abuso, estão: distúrbios no sono; distúrbios na aprendizagem; altos níveis de ansiedade; comportamento agressivo; apatia ou isolamento; tristeza; abatimento; comportamento sexual inadequado para sua faixa etária; desconfiança de adultos; choro sem causa aparente; fraturas, feridas, contusões “inexplicadas” ou explicações incoerentes; desordem alimentar.
Vale ressaltar, que os possíveis sinais de abuso mencionados, isoladamente, não significam necessariamente prova de que uma criança esteja sendo negligenciada ou vitimada, mas podem servir como um alerta para que pais, familiares, educadores e sociedade em geral tenham um olhar mais atencioso para com esta criança que pode estar necessitando de socorro. Nessas horas, vale agir com cautela, bom senso e segurança.

Se você souber ou desconfiar que uma criança esteja sendo vítima frequente de maus tratos, abuso físico ou sexual e não sabe exatamente onde ou a quem recorrer, saiba que você pode e deve denunciar. Para fazer sua denúncia, basta ligar para 100, que é o número do Disque-denúncia Nacional de Combate à violência e ao abuso sexual contra crianças e adolescentes.
O combate desta violência passa pela denúncia! Não se calar é extremamente importante para tentar diminuir os casos de violência contra crianças e adolescentes.

Rosiane Nunes

30/09/09


Nota: Este texto faz parte da 2ª edição da Blogagem Coletiva promovida pelo Pr. Adolfino do blog Inspirações Matinais e acompanhada por alguns membros do dihhit.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Maus tratos contra crianças e adolescentes

http://www.quebrandoosilencio.org.br


A nossa Constituição Federal, em seu artigo 227, confere proteção à criança e ao adolescente.


Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

Apesar disso, muitas crianças e adolescentes estão relegadas à própria sorte, vítimas de maus tratos de toda a natureza, sejam através de negligência, violência simbólica, abuso de poder, danos psicológicos, abusos físicos e abusos sexuais.

Muitas das vezes, os maus tratos são cometidos dentro do próprio núcleo familiar por um dos pais, padrasto/madrasta, tios ou pessoa de cofiança da criança ou que lhe exerce algum tipo de poder.
Não raramente, são registrados na imprensa casos e mais casos de violência contra os menores: abandono de recém-nascidos, crianças mantidas em cativeiro, castigos corporais, pedofilia, abusos sexuais, entre outros. Também não raramente, é possível ver pelas cidades, crianças da mais tenra idade serem usadas para vender algum produto nos semáforos, ou simplesmente serem exploradas por um adulto pedindo esmolas.
Outra forma muito comum de maus tratos é a negligência. Muito comum, porém, talvez, estatísticas não deem conta de registrá-la fidedignamente , haja vista que ocorre de maneira mais sutil.
De acordo com DAVOLI, a negligência acontece quando cuidador não protege a criança de forma adequada ou não dispensa a esta a devida atenção às suas necessidades. Exemplos: alimentação inadequada, a criança ficar sozinha sem um adulto para acompanhá-la durante o dia, falta de afeto, descuidos quanto a higiene e vestimentas, etc. Por vezes, ela é confundida com falta de recursos financeiros, entretanto, está presente em todas as camadas sociais .

Sem querer entrar na polêmica do “psicologismos” versus “pedagogia das palmadas”, outro tipo de violência que figura entre os maus tratos cometidos contra a criança são os castigos corporais. Consiste em abuso físico: empurrar, agitar brutalmente, chocar, dar golpes de socos e/ou pontapés, bater violentamente (com ou sem algum objeto) deixando marcas.
Portanto, a violência contra crianças e adolescentes é uma triste realidade e exige da sociedade uma urgente reação. Assim, é preciso que fiquemos atentos aos sinais de maus tratos que porventura possam ocorrer ao nosso entorno, pois a omissão pode gerar graves consequências para a criança e o adolescente maltratado. Mais do que nunca, toda a sociedade é convocada a marchar “quebrando o silêncio” contra todas as formas de violência.


Constituição da República Federativa do Brasil(1988)

DAVOLI, A. & OGIDO, R. A negligência como forma de violência contra a criança e a importância da atuação médica Jornal de Pediatria vol.68 (11/12), 1992. p.405-408

Estatuto da criança e adolescente.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Campanha Quebrando o silêncio: aconchegamos esta ideia!


Olá amigos e amigas,



Tive conhecimento da Campanha "Evitando o abuso infantil: Quebrando o silêncio" através de uma postagem no dihitt enviada pelo Pr. Adolfino, também disponível no blog http://inspiracoesmatinais.blogspot.com/. A referida campanha propõe que denúncia à todo tipo de violência cometida contra crianças e adolescentes. Outros amigos abraçaram a causa e tomou forma a ideia de uma blogagem coletiva, onde vários blogs estarão discutindo algumas facetas da violência: violência contra a mulher, violência doméstica e a violência infantil: maus tratos, pedofilia, abuso e exploração sexual.
Bem, também aqui no "aconchego de ideias" abraçamos esta tão nobre causa e, no próximo dia 31/08 (2ª F) faremos uma postagem para que discutir este assunto que merece toda a nossa atenção.

Forte abraço

Rosiane


domingo, 26 de julho de 2009

Dia dos avós

Aos avós com carinho,

Muita paz, alegria, saúde e muita, muita Luz.
Que Deus derrame sobre vós suas bênçãos.

Aconchegante abraço,
Com carinho

Rosi

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Aos amigos: homenagem do aconchego



Em homenagem ao Dia do Amigo, deixo essa linda mensagem do poeta Drummond, que fala de amizade e desejo de coisas boas para aqueles que amamos e queremos bem.

Desejo a você um dia abençoado.

Feliz dia do amigo!!!



D E S E J O


Desejo a você...

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Filme do Carlitos

Chope com amigos

Crônica de Rubem Braga

Viver sem inimigos

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Ver a Banda passar

Noite de lua Cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Não ter que ouvir a palavra não

Nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender uma nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa

Um violão

Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Bater palmas de alegria

Uma tarde amena

Calçar um velho chinelo

Sentar numa velha poltrona

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco

Bolero de Ravel

...E muito carinho meu.

(Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Coisas boas e aconchegantes

Olá, pessoas!
Recebi, via e-mail, o texto abaixo e achando-o belíssimo resolvi socializá-lo através deste post.

Coisas boas da vida
*(desconheço o autor)

Se apaixonar. Rir até sentir o rosto doer. Um banho quente. Um supermercado sem filas. Um olhar especial. Receber cartas. Dirigir numa estrada bonita. Escutar sua música preferida no rádio. Um banho de espuma. Uma boa conversa. A praia. Achar uma nota de R$50 na sua blusa do inverno passado. Rir de você mesmo. Rir sem absolutamente razão nenhuma. Ter alguém pra te dizer que você é bonito (a). Rir por alguma coisa que você lembrou. Os amigos.Ouvir acidentalmente alguém falar bem de você. Acordar e perceber que ainda faltam algumas horas para dormir. Fazer novos amigos ou ficar junto dos velhos. Conversas à noite com seu colega de quarto que não te deixa dormir. Alguém brincar com o seu cabelo. Bons sonhos. Viagens com os amigos. Dançar. Beijar na boca. Ir a um bom show. Ter calafrios ao ver aquela pessoa. Ganhar um jogo difícil. Passar o tempo com os amigos. Ver os amigos sorrir ou rir. Segurar as mãos de um amigo. Encontrar com um velho amigo e descobrir que tem coisas que nunca mudam. Descobrir que o amor é eterno e incondicional. Abraçar a pessoa que você ama. Ver a expressão de alguém que ganhou um presente que queria muito de você. Ver o nascer do sol. Levantar todo dia e agradecer a Deus por outro lindo dia!
Sorriam e aproveitem as coisas boas da vida!
Que delícia tudo isso!!!
Se eu fosse refazer a lista, incluindo coisas que além de boas também fossem aconchegantes eu acrescrentaria:
Casa e dengo de vó
Comidinha de mãe
Uma rede preguiçosa pra deitar
Saborear uma fruta recém colhida
Dormir de conchinha
Ouvir do(a) filho(a) que sua comidinha é a melhor do mundo (mesmo que lá no seu íntimo você saiba que seus dotes culinários não são lá estas coisas)
E você, como anda a sua lista de coisas boas e aconchegantes?
:) Enorme abraço
Rosi

domingo, 5 de julho de 2009

Aconchegando as ideias...

Querido visitante,

Devo logo alertá-lo que não sou escritora, nem poeta. Quem me dera ter aquela intimidade e fino trato com a linguagem escrita e a preocupação estética como bem o fazem poetas e escritores. Também ainda não me considero uma blogueira, não ainda.
Aliás, construir um blog jamais havia passado pela minha cabeça, não mesmo. Até que há poucos dias fui gentilmente convidada pelo amigo Absair a 'arregaçar as mangas'. Dizia ele: "Vamos trabalhar amiga, abre um blog e faça o que vc sabe de melhor. Todos temos um contribuição a oferecer as pessoas. começa devagar para vc pegar a prática depois a coisa vai fluindo ok? "

Valeu amigo!!! Acolhi a ideia com carinho e, assim, me pus a colocá-la em prática...Visitei alguns blogs para me familiarizar com este universo. Notei que muitos (talvez a maioria) trata de algum tema específico, daí me pus a pensar qual seria o tema o qual eu trataria, ou nas palavras do amigo já citado, qual seria a minha contribuição a dar as pessoas?


Pois bem, nesse contexto de indagações surge o 'Aconchego de ideias', um espaço que se pretende dinâmico, interativo e democrático. Dinâmico e interativo porque pressupõe trocas. Elas nos fazem aprender muito. E democrático porque todos os pensamentos serão bem vindos.
Parto sempre do princípio que não tenho que concordar com todas as ideias, mas posso (e devo) respeitá-las. Respeitar as divergências nos converge para o bom senso e isso também é aprendizagem. Aprendemos isso com o tempo e isso nos engrandece.

De imediato, eu digo que de minha parte há o propósito de proporcionar aos visitantes uma leitura agradável, um clima aconchegante e amistoso e um terreno fértil para a participação e interação das pessoas. Desejo que as futuras postagens aqui disponibilizadas possam despertar seu interesse.



Obrigada pela visita e volte sempre, sinta-se à vontade para enviar opiniões e sugestões.



Aconchegante Abraço

Rosiane Nunes