terça-feira, 20 de outubro de 2009

O aconchego é Roxie?!


A adorável amiga Edilza do blog saudepelaspantas.blogspot.com/ ofereceu-me este selinho dizendo que meu blog é Roxie e, como eu não fazia ideia do que isso significava andei dando umas vasculhadas pela rede e descobri que roxie quer dizer, entre outras coisas, um conjunto de coisas boas da vida.


Achei super legal. Adorei o mimo, mesmo porque este foi meu primeiro selinho, e como dizem..." primeiro a gente nunca esquece" rsrs...E para compartilhar toda esta alegria presenteio com este selinho os amigos dos seguintes blogs:

-http://estarbemcorpoalma.blogspot.com/ do amigo Absair (que é "padrinho" do aconchego)


- http://quiosqueazul.blogspot.com/ O Quiosque Azul, do amigo Renato, tem sempre um lugar em nossas vidas. Cantinho muito legal!


- http://compartilhandoasletras.com/ da amável Sônia Regly que além de compartilhar letras, compartilha amor, carinho, poemas, sonhos e alegrias.


- http://broncanotrombone.blogspot.com/ do queridíssimo e criativo André que sempre com um tom de protesto inteligente manda o seu recado.


- http://blogdomaha.blogspot.com/ do bem humuradíssimo Maha, aliás quando quero dar boas risadas sempre dou uma passadinha pelo link humor...é sempre uma festa!


-http://maturidadedivagando.blogspot.com/ Divagar por entre os links deste espaço da encantadora gaúcha Maria de Souza é sempre um grandioso prazer. Sempre encontramos postagens inteligentes e leituras agradáveis.


Beijão e aconchegante abraço a todos e todas.


Rosiane Nunes












quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Breve relato de uma ex aluna


Quando me propus a escrever sobre este tema, muitos assuntos passaram em minha cabeça. Fiz uma pequena viagem mental e relembrei diversos educadores que de algum modo passaram por minha vida. Pensando neles, foi possível reviver diversos momentos , alguns agradáveis e outros que, melhor seria permanecerem no esquecimento. Aprendi muito no convívio com estas pessoas. De todas sempre busquei extrair o que de melhor tinham a proporcionar e muitos dos meus antigos professores tiveram muito a me acrescentar, alguns, porém, talvez o melhor ensinamento foi a de serem um exemplo a não ser seguido.
Enfim, nos atenhamos aos bons momentos... Que saudades da “tia” Penha, minha primeira professora, ainda na educação infantil, tinha apenas cinco anos. Fechando os olhos, ainda é possível lembrar com certa nitidez o quanto era uma pessoa doce, carinhosa, meiga e atenciosa. Recordo também que ela contava muitas historinhas.
Não lembro como foi meu processo de alfabetização, propriamente dito, mas lembro da professora que me ensinou a ler e a escrever, foi a encantadora e acolhedora Luzinete. Nunca a vi gritar com nenhuma criança, era de uma ponderação e de uma paciência invejáveis.
O destaque do Ensino Fundamental foi Regina Célia, professora de História. Extremamente exigente... Deus me livre chegar em sua aula sem ter lido o capítulo “X”, ou sem ter respondido as questões “Y”. Ela tinha uma metodologia muito interessante para corrigir as tarefas, deslizava o dedo sobre os nomes do Diário de Classe e escolhia um nome. Em quase todas as suas aulas, durante os quatro anos em que fui sua aluna, por mais que fazia minhas preces para que seus dedos não encontrassem meu nome no Diário, eles sempre encontravam, para meu desespero. A situação era quase uma tragédia para mim: dava taquicardia, tremor nas pernas e sudorese nas mãos e quando ela finalmente dizia: "quero ouvir a resposta de...Rosiane Nunes" eu quase infartava. Sobrevivi. Com tudo isso, tenho verdadeira paixão por História. Anos mais tarde, indo trabalhar na mesma escola que ela, soube que este método era para os tímidos exercitarem sua oralidade.

Já na graduação, no curso de Pedagogia, tive muitos professores, daqueles dois tipos: os para não serem lembrados e os para jamais serem esquecidos. Deste último time, lembro com muito carinho da querida mestra Terezinha, professora da disciplina de Legislação Educacional. Por detrás daquele jeito sério, rigoroso e exigente tão típico de sua descendência alemã, escondia-se uma pessoa carismática, solidária, sensível, inteligente e, acima de tudo, competente. E que competência! Sabia do que falava e por isso, sempre o fazia com muita propriedade. Ela foi responsável pelo meu interesse pelas políticas educacionais. Devo também a ela, ser a profissional da educação que me tornei.

Hoje sou Pedagoga naquela minha primeira escola...aquela de educação infantil em que outrora fui aluna da “tia” Penha.

A minha homenagem a estas professoras acima citadas, e a todos os Professores deste imenso Brasil. O meu carinho, meu respeito e admiração a estes profissionais tão importantes na formação dos sujeitos, mas que infelizmente nem sempre são devidamente reconhecidos como tal.


Abraços aconchegantes a todos e todas.

Rosiane Nunes


Obs.: O presente texto faz parte de uma Blogagem Coletiva, intitulada “Professores do Brasil” em homenagem ao Dia do Professor, promovida Pelo amigo Valdeir Almeida do blog http://ponderantes.blogspot.com

domingo, 4 de outubro de 2009

Pessoas! Sonhar também é preciso!



É preciso sonhar,

Sim, é preciso...


É preciso sonhar,

para acreditar,


É preciso acreditar

para realizar e,

voltar a sonhar,


É preciso sonhar,

para transformar.


É preciso sonhar,

para experimentar,

para vivenciar

emoções únicas e ternas,

e que se tornam eternas.



É preciso sonhar

para renovar as esperanças,

para acreditar e,

acima de tudo lutar,

E lutando vencer,

e vencendo, desfrutar...


Tudo que o sonho pode nos proporcionar.




Bem, amigos, com as ideias aconchegadas de carinho, desejo a todos uma semana recheada de bons sonhos, com cobertura de muitas realizações, mesmo as pequeninas que, às vezes, nos passam despercebidas dado o nosso corre-corre cotidiano.



E para finalizar, presenteio-os com este texto super especial, de Clarice Lispector,



Sonhe com aquilo que você quiser.

Seja o que você quer ser,porque você possui apenas uma vida e

nela só se tem uma chance de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.

Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana.

E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.

Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam.

Para aqueles que buscam e tentam sempre.

E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.





Aconhegante abraço

Rosiane Nunes

04/10/2009